IGREJA EM MISSÃO

Spread the love

 O Papa Francisco promulgou o MÊS MISSIONÁRIO EXTRAORDINÁRIO a ser celebrado em toda a Igreja Católica, em outubro próximo. Servirá como comemoração do centenário da Carta Apostólica Maximum Illud do Papa Bento XV, de 30 de novembro de 1919. Visa a estimular a ação missionária. Tal estímulo vem em boa hora.

O desejo do Papa Francisco é oportuno para promover iniciativas missionárias, intensificar a oração –alma de toda a missão-, incentivar a reflexão bíblica e teológica sobre o apostolado, empreender as obras de caridade cristã e as ações concretas de colaboração e de solidariedade entre as Igrejas, despertar o entusiasmo missionário.

Somos motivados pelo tema BATIZADOS E ENVIADOS: A IGREJA DE CRISTO EM MISSÃO NO MUNDO. O tema foi escolhido pelo Papa Francisco. Significa que o envio missionário possui a dimensão sacramental e diz respeito a todos os batizados.  De fato, a missão é trinitária e decorre de nosso mergulho nas águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo com o consequente mandato de levar o Evangelho a toda a criatura (Mt 28,19-20).

Pode-se dizer que “a missão deve ser entendida como eficaz participação histórica e sacramental nas missões que Deus Pai confia ao Filho e ao Espírito Santo no mundo”, lembra-nos o Pe. Fabrizio Meroni.  

Jesus resume a participação na sua missão e na missão do Espírito em dois momentos: “Como o Pai me enviou, também eu vos envio” (Jo 20, 21); “Quando vier o Paráclito, que vos enviarei de junto do Pai, o Espírito da Verdade, que vem do Pai, ele dará testemunho de mim. E vós também dareis testemunho…” (Jo 26-27).

Na Diocese de Iguatu, o mês missionário será aberto, no dia 01 de outubro, com a Santa Missa Solene, na Catedral de São José, às 18h. concelebrada pelos padres que se encontram em Assembleia do Clero. Para o ato litúrgico, todos os fiéis diocesanos estão convidados. Além disso, haverá a programação missionária a viabilizar o desejo do Papa. Como dizia Dom Bosco: “o desejo do Papa é uma ordem”.  Todavia, não se trata apenas de desejo, mas de promulgação.

Cada paróquia, quase-paróquia e comunidades eclesiais atendam ao Papa Francisco, pela oração pelas missões, pela reflexão sobre o compromisso missionário ao nosso redor (há muitas áreas de missão bem perto!), pelas ações sociais e caritativas que fazem parte do apostolado junto aos pobres, doentes, prisioneiros com os quais Jesus se identifica. A criatividade pastoral, impulsionada pela ação do Espírito Santo, há de fomentar a atitude missionária fundamental para a vivência do mês extraordinário.   

Deixemo-nos motivar. Abracemos a causa missionária, portadora do dom da vida plena. Maria Santíssima, cooperadora da missão do seu Filho no Espírito, abençoe nossa atitude de fazer do mês missionário o que Deus quer, em atenção à iniciativa do Sucessor de Pedro.

Deixe uma resposta