A DIGNIDADE DA CELEBRAÇÃO DA PALAVRA EM NOSSAS COMUNIDADES

Em várias Igrejas particulares, como a nossa Diocese, existem muitas comunidades que ficam distante da sede paroquial e, desta forma, não podem contar com a Eucaristia dominical, meio primordial e salutar de santificação.

Mesmo assim, reúnem-se para a oração coletiva, no Dia do Senhor. Fazem-no, especialmente, através da celebração da Palavra de Deus. Uma reunião litúrgica, presidida geralmente por um leigo, que conta sobretudo com o elemento da leitura bíblica, a partir de textos indicados para o respectivo dia. Em algumas realidades, tem-se ainda a comunhão eucarística, distribuída pelos ministros extraordinários.

Idealizada sob os ventos conciliares (cf. SC 35, 4), é tratada, também, em outros textos eclesiásticos, como o Ritual da Sagrada Comunhão e Culto do Mistério Eucarístico fora da Missa e a normativa do novo Código de Direito Canônico (cân. 230 §3 e 1248 §2). Sua regulação está no Diretório para as celebrações dominicais na ausência do presbítero (CDAP), da Congregação do Culto Divino; no Brasil, conta-se ainda com as Orientações para a celebração da Palavra de Deus (Doc. nº 52), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Enfim, com documentos que, além de permitir e recomendar, indicam os meios de melhor fazê-lo – cuja observância deve ser fidedigna –, vemos enaltecida a dignidade deste recurso, que assume uma tríplice função: Culto à Palavra, catequese dos fieis e fortalecimento da vida comunitária.

Porém, não tenha-se jamais, esta liturgia, na mesma conta da Santa Missa: Esta, é o próprio Sacrifício de Jesus, enquanto que aquela é um “ajuntamento” do povo, para meditar a Palavra! Segundo o diretório citado, no seu número 22, a celebração da Palavra deve ser um fomento para a busca pela Eucaristia, ou seja, a ela conduzir.

Enfim, que, nas nossas comunidades, possamos buscar nos preparar melhor, para esta liturgia, tão presente nelas, seja procurando a formação, no que concerne à sua boa condução, seja aprofundando o contato com a Palavra de Deus, para que, além de celebrá-la, possamos vivê-la no nosso hoje concreto, servindo a Deus e aos irmãos.

Por: Pedro Lucas Teixeira Mendes
Seminarista maior da Diocese de Iguatu.

1 comentário em “A DIGNIDADE DA CELEBRAÇÃO DA PALAVRA EM NOSSAS COMUNIDADES”

  1. Que Deus o abençoe por tão inspiradas palavras e o conduza ao ministério sacerdotal para que nessas comunidades a Celebração da Palavra seja substituída pela Insubstituível Santa Missa, Sacrifício de Salvação para todos nós, e mais vocações sacerdotais sejam suscitadas no meio do povo.

Deixe uma resposta