PE. JOSÉ ALVES DE MACEDO

Spread the love

DIOCESE DE IGUATU – MEMÓRIA PELOS CAMINHOS DA HISTÓRIA MEMBROS DO CLERO 

PE. JOSÉ ALVES DE MACEDO
(*1910 +1992)
(In memoriam)
PREÂMBULO
Que o conjunto destes artigos atenda – assim esperamos! – ao desiderato de Sua Excelência Reverendíssima Dom Edson de Castro Homem, Bispo Diocesano de Iguatu, que tem , insistentemente, dirigido apelos aos padres, aos (às) religiosos (as) e aos (às) leigos (as) da Igreja Particular de Iguatu, em ordem a que seja documentada, preservada e propagada, a memória de quantos auxiliaram – ou auxiliam – na edificação da História de nossa Diocese.

PE. JOSÉ ALVES DE MACEDO

 

Neste particular, pois, nossa atenção volta-se, “in memoriam”, nesta oportunidade, à pessoa do Sr.  Pe. José Alves de Macedo, antigo vigário da histórica Icó.
Nascido em 13 de julho de 1910, Pe. José Alves Macedo cursou os estudos primários em Crato; ainda na “Princesa do Cariri” fez os estudos secundários, indo-se matricular no Seminário Maior em Fortaleza.
Sua ordenação presbiteral aconteceu no dia 5 de dezembro de 1943.
Desta forma,  após haver exercido cargos na vida eclesiástica em Mauriti, Ceará, e em Salinópolis, Pará, ei-lo, no dia 8 de julho de 1962, designado, pelo 1º Bispo Diocesano de Iguatu, Dom José Mauro,  para assumir a Paróquia de  Icó.
Do Pe. José Alves de Macedo é lícito afirmar ter sido um “homem culto, com cursos no exterior, tendo frequentado instituições de alto gabarito, a ponto de haver participado  de cursos de reciclagem na Bélgica.” (Cf. Anuário da Diocese de Iguatu – 1973. Pag. 28).
Por onde esteve como Ministro de Deus, Pe. Macedo pautou sua ação pastoral em dois relevantes eixos: “na conscientização do homem e na preparação adequada dos fiéis para a recepção dos sacramentos.” (Cf. Ibidem).
No entanto, de acordo com o próprio Pe. José, no tocante à concretização  de suas pastorais ações, ele se deparou  com “obstáculos quase insuperáveis”, resultantes estes, ainda no julgar do nosso saudoso sacerdote, “da ignorância que dificulta a compreensão das verdades da Fé; da falta de formação que obstaculiza a propagação do Evangelho de modo perfeito; e da a total ausência de cultura nas comunidades mais distantes do progresso.” (Cf. ibidem).
Encontramos, nas páginas do Anuário de 1973, já amareladas pela pátina inclemente do tempo, substanciosas referências aos trabalhos do Pe. José Alves de Macedo  no setor da Educação, de Icó, em decorrência das  atividades  do   Ginásio Nossa Senhora da Expectação, aos quais, muito contribuíram, as “Irmãs de Santa Terezinha”.
À LUZ DO CONTEXTO SÓCIO-RELIGIOSO DO “ANO DO SENHOR DE 1973”, SEGUEM ALGUMAS REFERÊNCIAS, EM TORNO, AGORA, “DO OLHAR DE PASTOR VIGILANTE”, DO PE. JOSÉ ALVES DE  MACEDO, EM RELAÇÃO ÀS COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE (CEBs) E À CELEBRAÇÃO DO “DIA DO SENHOR”: 
“O Pe. Macedo fez questão de dizer que o Dia do Senhor  teve plena aceitação em todas as comunidades do território paroquial e os Círculos Bíblicos desenvolvem meritório trabalho nos meios rurais. As Comunidades de Base, em decorrência deste esforço, em breve serão muitas e bem organizadas, dando, assim, certa tranquilidade ao desejo do Pe. Macedo de ver e constatar a presença viva da Palavra de Deus em todas as localidades de sua imensa Paróquia.” (Cf. Ibidem).
Encontramos no Boletim da Diocese de Iguatu, fonte de que deve ser ignorada quando o assunto é História da Diocese de Iguatu, noticias acerca dos últimos anos de vida do Pe. José Alves de Macedo, vividos em Messejana, Fortaleza, havendo ali colaborado nas atividades pastorais, coadjuvando os párocos, quanto lhe permitiam suas forças, “debilitadas pela saúde precária e o peso dos anos.” (Cf. Boletim da Diocese de Iguatu,edição 261, de 31.01.1992).
MORTE E SEPULTAMENTO
Pe. José Alves de Macedo veio a óbito nos inícios de janeiro de 1992. 
A missa exequial foi presididas por Dom José Mauro, então Bispo diocesano de Iguatu.
Repousam seus despojos mortais, à espera da ressurreição da carne, na  Matriz da Expectação, em Icó.
“Requiem aeternam dona ei, Domine. Et lux perpetua luceat ei.”
Pesquisa e Texto: Osmar Lucena Filho
(Paróquia de Piquet Carneiro)
Fontes: Anuário da Diocese de Iguatu (1973). Boletim da Diocese de Iguatu (Janeiro de 1992).

1 comentário em “PE. JOSÉ ALVES DE MACEDO”

  1. DO AUTOR PARA OS EVENTUAIS LEITORES DESTE ARTIGO “IN MEMORIAM” DO PE. MACEDO:
    RETIFICAÇÃO DE UM PARÁGRAFO, CUJA PASSAGEM, CORRIGIDA, DEVE SER LIDA DESTA MANEIRA: ” a) “Encontramos no Boletim da Diocese de Iguatu, fonte que não deve ser ignorada quando o assunto é História da Diocese de Iguatu. (…)”
    b) Noutra passagem, leia-se assim: “A missa exequial foi presidida (…)
    Grato pela compreensão.
    Osmar

Deixe uma resposta