O OLHAR DE FRANCISCO

Uma das características peculiares de Nosso Senhor, descrita nos Evangelhos, é o Seu olhar. Nota-se, especialmente, na escolha de Mateus, quando se diz: “Indo adiante, viu Jesus um homem chamado Mateus, sentado na coletoria de impostos, e disse-lhe: ‘Segue-me’. Este, levantando-se, o seguiu.” (Mt 9,9)

A cena é comentada por São Beda, o Venerável, numa de suas Homilias: “Viu-o não tanto com os olhos corporais quanto com a vista da íntima compaixão. Viu o publicano, dele se compadeceu e o escolheu.” (Hom. 21) Esta meditação atraiu o Papa Francisco, que, a partir dela, definiu como seu lema episcopal e pontifício, o que em Latim expressa-se Miserando atque eligendo.

De fato, não trata-se somente dum costume, o escolher uma divisa, pois ela significa, na verdade, o resumo do projeto pastoral daquele que adota-a, cuja fidelidade deverá ser constatada reiteradas vezes, na vida cotidiana.

Um exemplo notável, quanto ao Romano Pontífice, é a cada Celebração Eucarística, quando eleva a Hóstia e o Cálice: fita-lhes o olhar, num gesto de amor e adoração, firme e humilde, simultaneamente; ou ainda, ao final das liturgias, durante a recitação das antífonas marianas, diante da imagem da Virgem Maria, como de fato um filho, reverenciando a sua Santíssima Mãe.

Noutros momentos concretos, também, vê-se a importância do seu olhar na vida de Pastor, especialmente, diante dos pobres, sofredores, necessitados etc.: além de enxergá-los como o que são, verdadeiramente – os preferidos de Deus –, incute-nos, seus filhos espirituais, a mesma postura, com diversas atitudes, teóricas e práticas.

Desde as medidas de atendimento, nas instâncias vaticanas, até à partilha de refeições com os mais carentes, o Bispo de Roma manifesta, humildemente, o mesmo que Jesus para com Mateus: um olhar de misericórdia, buscando perscrutar o que há de mais essencial ao ser humano, a sua dignidade de filho amado por Deus!

Não objetivamos, de forma alguma, com este escrito, descurar desta mesma qualidade (o olhar), enquanto postura de seus predecessores. Destacamo-la, porém, com relação ao Papa Francisco, gloriosamente reinante, como uma alternativa a afirmações errôneas, difundidas a respeito de seu ministério. Seu olhar vigilante é a prova da vocação de guardião do Rebanho do Senhor, Servo dos Servos de Deus.

Que o seu exemplo de Pastor seja um norte para a nossa vida, no cumprimento obediente das palavras de Jesus. Num mundo onde o olhar é tomado por tantas imagens, muitas fictícias, fixemo-lo no essencial, a fim de que cumpra-se, em nós, o Lema dos Dominicanos: “Transmite aos outros o que contemplaste!”

Ebrom, Acopiara, 14 de agosto de 2020.
Pedro Lucas Teixeira Mendes
S
eminarista da Diocese de Iguatu.

Deixe uma resposta