CATOLICISMO FESTIVO

Algumas Comunidades de nossa Diocese de Iguatu possuem igrejas e capelas, dedicadas a Deus, em honra dos santos chamados juninos: Santo Antônio, São João, São Pedro.

Em nossas cidades e distritos, ainda não marcados pelo processo de secularização, guardam sua tradição religiosa e sua identidade católica, embora com elementos folclóricos. Seus festejos são caracterizados por danças de quadrilhas, letras e músicas, vestimentas, comidas e bebidas apetitosas, e fogos de artifício. Têm origem portuguesa, mas se aclimataram em todo o território nacional com algumas variantes locais, sobretudo, o São João nordestino, muito apreciado e elogiado.

Santo Antônio, em 13 de junho, é o frade franciscano, nascido em Lisboa e falecido em Pádua. Em sua imagem traz o Menino Jesus ao colo e o lírio da pureza na mão. A ele se ligam muitas lendas piedosas e a devoção de santo casamenteiro. No entanto, historicamente sua figura brilha como pregador e milagreiro. Recuperam-se ambos os carismas que enriqueceram seu testemunho de vida consagrada ao Evangelho. Por conseguinte, serve de estímulo e exemplo para os evangelizadores.

São João, em 24 de junho, é quem batizou Jesus no rio Jordão. Dele o Mestre afirmou ser o mais importante dentre os nascidos de mulher. Tal elogio, entre outros, deve-se à missão para a qual veio ao mundo: ser o precursor do Messias, realizando as palavras do profeta Isaías, ao preparar os caminhos do Senhor. Pela sua pregação de anunciar e pelo gesto de apontar o Cristo, a quem identificou como sendo o Cordeiro que tira o pecado do mundo, é o último dos profetas, entre o Antigo e o Novo Testamento. Deu o pleno testemunho da verdade ao morrer decapitado, vítima da vingança de uma mulher. Por todos os aspectos de sua pregação e de sua vida, serve também de estímulo e exemplo para os evangelizadores.

São Pedro, em 29 de junho, é o pescador, cujo nome era Simão, escolhido por Jesus para ser discípulo e posteriormente apóstolo, compondo o número simbólico dos Doze. Faz parte do Colégio Apostólico. Cristo o elegeu primeiro dentre os demais para o pastoreio de toda a Igreja. Por isso, deteve o primado de ensino e de governo. Com esta prerrogativa é considerado o primeiro papa. Sua imagem é representada pelas chaves do Reino dos Céus pois, através desta simbologia, Jesus entregou-as para que tudo que ligasse ou desligasse na terra fosse também confirmado no céu. Recebeu a promessa de que as portas do inferno não prevaleceriam contra a Igreja, entregue aos seus cuidados. Jesus orou por ele para que sua fé se fortalecesse e pudesse confirmar os irmãos.

Os festejos dos santos juninos servem de ocasião para pregar a fé viva, que se celebra, através da religiosidade popular, pelas trezenas, novenas e procissões, e mediante a atividade sacramental, especialmente a celebração da Penitência e da Eucaristia. Além disso, as festas nas praças ou ao redor das igrejas são expressões de congraçamento das Comunidades e de acolhida aos visitantes. É estar de bem com a vida. É vencer o sofrimento com a alegria da fé. Veneremos, pois, nossos protetores! Renovemos nossas belas tradições! Enfeitemos os andores dos santos! Ergamos as bandeiras!

Deixe uma resposta