PE. ANTÔNIO FERNANDES DO NASCIMENTO

Spread the love

DIOCESE DE IGUATU

MEMÓRIA PE. ANTÔNIO FERNANDES DO NASCIMENTO

(* Feiticeiro, Jaguaribe–CE, 31 de maio de 1962 + Iguatu–CE, 14 de novembro de 2013)

Na vetusta igreja de Santana, em Iguatu, bem junto do pórtico, por último construído, bem aos pés da imagem do “Senhor morto”, o transeunte encontrará a sepultura do Pe. Antônio Fernandes do Nascimento.

Um epitáfio, afixado na parede do aludido templo, recorda-nos, pela foto nele contida, os traços fisionômicos do falecido, além de evocar as principais datas de sua existência: nascimento, ordenação presbiteral e morte.  Há também uma frase bíblica, extraída das páginas do profeta Isaías:  “Eu, o Senhor, tomei-te em minhas mãos, para que sejas luz das nações.”

Não é por acaso que, ali, vê-se ele inhumado, tendo em vista haver servido aquele recinto sagrado, de “locus”, às funções de sacristão, por Antônio Fernandes exercidas, com muito zelo e dedicação, na década de 1980, no desabrochar, pois, de sua vocação.

Filho de Pedro Acrísio do Nascimento e Severina Fernandes, na comunidade vulgarmente chamada “Feiticeiro”, um distrito de Jaguaribe–CE, no encerrar-se do Mês de Maria (31 de maio) de 1962 nasceu o Pe. Antônio Fernandes do Nascimento.

Os estudos atinentes ao ensino médio, Pe. Antônio os cursara na Escola Técnica então mantida pela Diocese de Iguatu.

Teve ele o mérito de haver integrado a primeira turma de seminaristas que adentrou as portas do Seminário Menor diocesano nos inícios de 1987, acolhido pelo Reitor, naquele tempo, o Pe. Sebastião Sá.

Em janeiro de 1988, o seminarista Antônio Fernandes seguiu para Fortaleza, a fim de ingressar no Seminário “Regional Nordeste I”, e, por conseguinte, iniciar os cursos de Filosofia e Teologia, em vista da futura ordenação presbiteral, enfim ocorrida no dia 6 de janeiro de 1995, sob a presidência de Dom José Mauro Ramalho, 1º Bispo de Iguatu, de imperecível memória.

CARGOS EXERCIDOS ANTES DA ORDENAÇÃO PRESBITERAL

Estava-se em março de 1994, quando o ainda seminarista estagiário Antônio Fernandes do Nascimento, sucedendo ao Pe. Pedro Aquino Rolim (+ 2003), fixou morada em Piquet Carneiro, incumbido, como estava, pela autoridade diocesana, de cuidar da organização pastoral e financeira da paróquia do Sagrado Coração de Jesus.

Os serviços religiosos, em Piquet Carneiro, no que tange à administração dos sacramentos, eram realizados – frize-se! – pela ação dos padres do Zonal IV, dentre os quais convém que seja dado, nesta nota, a devida menção, ao nome do Pe. José Marques Chaves (+2005).

Antônio Fernandes, enquanto seminarista estagiário e, depois, diácono, impôs a si um ritmo de trabalho que resultou em excelentes obras religiosas e sociais.

Mas, em Piquet Carneiro, ele exerceria o ministério sacerdotal por um brevíssimo espaço de tempo, entre janeiro e março de 1995, vindo a ser sucedido pelo Pe. José Leirton Alencar Souza (+2011).

Sacerdote modesto e simples, ardoroso apóstolo de Nosso Senhor, Pe. Antônio Fernandes deixou o rastro luminoso de suas atividades sacerdotais, servindo, ainda, às comunidades paroquiais de Senador Pompeu, Cedro, Arneiroz, Catarina, Mombaça, Orós e Iguatu (Sant’Ana).

Na quinta-feira, dia 14 de novembro de 2013, enquanto se movimentava pelos largos espaços de um sítio que lhe pertencia, em Gadelha – Iguatu, ocorreu-lhe, de forma súbita, a hora derradeira: morreu vitimado por um choque elétrico…

A Igreja de Sant’Ana, outrora Sé Catedral, guarda-lhe, como o dissemos, os despojos mortais, à espera da ressurreição da carne.

Paz à sua alma!

Texto: Osmar Lucena Filho (Paróquia de Piquet Carneiro)

Fontes de pesquisa: Livro do Tombo da Paróquia de Piquet Carneiro e Boletim da Diocese de Iguatu. E a colaboração de Antônio Firmino (Piquet Carneiro).

Deixe uma resposta