DOM JOSÉ MAURO RAMALHO DE ALARCÓN E SANTIAGO

Spread the love

DOM JOSÉ MAURO RAMALHO DE ALARCÓN E SANTIAGO

* Russas-CE, 14 de maio de 1925
+ Iguatu-CE, 9 de dezembro de 2019
Multiplicam-se, ainda, Iguatu afora, as homenagens de caráter póstumo a Sua Excelência Reverendíssima Dom José Mauro Ramalho de Alarcón e Santiago, “primus episcopus” da Diocese de Iguatu.
Com efeito, Dom Mauro foi chamado a participar da “Ceia da Vida Eterna” no dia 9 de dezembro pp.
Aqui, portanto, neste espaço de comunicação, que é o site oficial da Igreja Particular de Iguatu, resolvemos publicar, in memoriam do saudoso pastor diocesano, o texto pontifício da Bula de São João XXIII, datada de 13 de outubro de 1961, por que o então vigário de Aracati-CE, Pe. José Mauro, foi nomeado   “Bispo de Iguatu”.
Trata-se, está claro, de um documento solene, redigido, primeiramente, em latim, isto é, na língua oficial da Igreja Católica Apostólica Romana.
Todavia, a versão, em vernáculo, deste documento, pode ser contemplada no livro “Monografias”, de autoria do Mons. Francisco de Assis Couto (*1919 +1979), antigo vigário geral de Iguatu, clérigo de cujo centenário de nascimento estamos nos avizinhando: 29 de dezembro deste ano.
(Osmar Lucena Filho)
BULA PONTIFÍCIA DE NOMEAÇÃO EPISCOPAL DE DOM JOSÉ MAURO RAMALHO DE ALARCÓN E SANTIAGO
1º BISPO DIOCESANO DE IGUATU
IOANNES EPISCOPUS, SERVUS SERVORUM DEI, AD PERPETUAM REI MEMORIAM
João, Bispo, Servo dos Servos de Deus, para a perpétua lembrança deste acontecimento.
Ao dileto filho José Mauro Ramalho de Alarcón e Santiago, até agora Vigário da Cidade de Aracati, nomeado Bispo da nova Diocese de Iguatu.
Saudação e Bênção Apostólica!
Como um jardineiro hábil e zeloso envida todos os esforços para que as flores, nascidas na primavera, cresçam viçosas e se adornem da linda veste das folhas – encanto para os olhos – assim também nós, a quem, por superior vontade de Deus, foi confiado o cultivo do fertilíssimo campo da Igreja, com todo o empenho, nos esforçamos, a fim de que as Dioceses, recém criadas pelo mundo, não só brilhem como o adorno radiante da virtude, mas também estejam firmadas, por longos anos, na base inabalável da doutrina. Por isto, querendo dar à Diocese de Iguatu, criada por Carta Nossa “In Apostolicis” do dia 28 de janeiro de 1961, um Antístite, que, como procurador solícito, realize o que acabamos de dizer, resolvemos indicar-te, dileto filho, para o governo da mesma, a ti, que, por te distinguires pela tua personalidade rica e piedade sólida, dás a esperança de governá-la com frutos abundantes. Sendo assim, após termos pedido o parecer dos Nossos Veneráveis Irmãos, os Cardeais da Santa Igreja Romana, que presidem à Sagrada Congregação do Consistório, por nossa autoridade, nós te nomeamos e declaramos Bispo da Sede de Iguatu, Sufragânea da Metrópole de Fortaleza, entregando-te o governo e toda a administração com os direitos próprios dos Bispos e com os cargos inerentes à dignidade tão excelsa.
Para maior comodidade tua, concedemos-te a licença de receberes a Sagração Episcopal das mãos de qualquer Bispo, a tua escolha, contanto que o Bispo sagrante seja assistido por dois assistentes igualmente Bispos, unidos com esta Sé Apostólica, pelos laços da caridade sincera e da fé verdadeira. Antes, porém, que se realize a Sagração e entres na posse do teu poder, ficas sabendo que deves fazer dois juramentos, a saber, o de Fidelidade para conosco e esta Cátedra de Pedro e do contra o Modernismo e, também, a Profissão da Fé.
Prestados estes juramentos, na presença de um Bispo, como testemunha, mandarás, quanto antes, as fórmulas que te enviamos e conforme as quais jurarás, assinadas com teu nome e lacradas, à Sagrada Congregação do Consistório. Além disso, consideramos vago, conforme as normas do Direito, o benefício, que até agora tiveste na Cidade de Aracati, e concedível por nós somente e por esta Sé Apostólica.
Quanto ao resto, dileto filho, instrui o Povo, procura os que perderam o caminho, convence os que hesitam.
Que o Cristo, vítima inocente do rebanho cristão, te assista!
Dado em Roma, junto de São Pedro, no dia 13 de outubro do ano de 1961, terceiro do nosso pontificado.
Papa João XXIII
Tiago Aloísio Cardeal Copello – Chanceler da Santa Igreja Romana
Francisco Hannibal Ferrati – Protonotário Apostólico
Bernardo de Felicis – Protonotário Apostólico
Esta Bula foi expedida no dia 27 de outubro de 1961, no terceiro ano do pontificado de João XXIII. Mons. Galligani, Pro-Chumbador. Registrada na Chancelaria Apostólica, Volume 107, Nº 70.

1 comentário em “DOM JOSÉ MAURO RAMALHO DE ALARCÓN E SANTIAGO”

Deixe uma resposta