BATIZADOS NO ESPÍRITO

Spread the love

Pentecostes celebra um acontecimento importantíssimo para a Igreja nascente e a Igreja em todos os tempos e lugares. Batizados no Espírito, os apóstolos, discípulos e discípulas, inclusive a Mãe de Jesus, constituíam o primeiro núcleo da Igreja de Jesus.

A Igreja que Jesus fundara nasce, mergulhada no Espírito, para o mundo. Apresenta-se como fenômeno histórico expressivo, pois já vive em missão universal até o retorno do Senhor.

Maria está presente, como não poderia deixar de estar, desde a Encarnação, na vida pública do Mestre, máxime junto à Cruz e nas alegrias pascais. Também não poderia faltar em Pentecostes. Estando presente, recebe nova efusão do Espírito para estar definitivamente unida aos novos irmãos e irmãs de seu Filho.

A partir de Pentecostes, ela vive a segunda maternidade que Jesus Crucificado lhe tinha dado aos pés da Cruz, ser Mãe da Igreja. Unida ao Espírito, une-se à missão do Filho, continuada e estendida como sendo a obra do mesmo Espírito, nos discípulos e no conjunto da Igreja. A partir de então, ela haveria de apresentar, em tempo de penúria e de dificuldade, as águas para que se transformem em vinho novo, como autêntica Auxiliadora e Cooperadora.

Em Pentecostes, Maria se torna membro da Igreja, membro proeminente do Corpo Místico de Cristo, como acentua o Concílio Vaticano II. Lá com os discípulos e agora conosco, implora em união com o Filho ao Pai para que nos dê outro Paráclito, Advogado ou Consolador, afim de que permaneça conosco (cf. Jo 14,16-17).

Pentecostes é a recordação que a Igreja nasce apostólica, tendo Pedro à frente. Logo após a Ascensão, o apóstolo manifesta sua liderança de serviço e diz: “É necessário, pois, que, dentre estes homens que nos acompanharam todo o tempo em que o Senhor Jesus viveu em nosso meio, a começar pelo batismo de João até o dia em que dentre nós foi arrebatado, um destes se torne conosco testemunha da ressurreição” (At 1,21-22). Ocorre a eleição de Matias. Recompõe-se a simbologia do número dos Doze.

Batizado com o batismo de fogo, Pedro à frente levanta a voz, anuncia Jesus com fervor, o Evangelho vivo, a salvação possível. Acolhe as primeiras conversões. Realiza o primeiro batismo de “cerca de três mil pessoas” (2,41). Assim a Igreja nasce, vitoriosa pelo Espírito, plena da riqueza da vida nova, jorrando do Ressuscitado.

O Patriarca Atenágoras, certa vez lembrara à Igreja no Oriente e à Igreja no Ocidente: “Sem o Espírito Santo, Deus está distante, o Cristo permanece no passado, o evangelho uma letra morta, a Igreja uma simples organização, a autoridade um poder, a missão uma propaganda, o culto um arcaísmo, e ação moral uma ação de escravos.  Mas no Espírito o cosmos é enobrecido pela geração do Reino, o Cristo ressuscitado está presente, o evangelho se faz força do Reino, a Igreja realiza a comunhão trinitária, a autoridade se transforma em serviço, a liturgia é memorial e antecipação, a ação humana se deifica”. Atenágoras mostra a importância vital do Espírito Santo.

Que Jesus nos dê de um novo Pentecostes, nesta hora tão estranha para o mundo e, particularmente, para o Brasil. Faça-nos mais sensíveis, humanos, solidários. Afugente de nós o mau espírito da discórdia e da mentira. Confirme-nos no amor e na paz.

2 comentários em “BATIZADOS NO ESPÍRITO”

  1. Bondoso Pastor D. Edson

    Que o Espirito Santo, continue enviando os seus Dons a toda Igreja e concedendo a todo povo: os seus DONS, neste momento em que estamos passando…

    Na certeza que tudo isso passe…

    Em Cristo,
    Ir. Helena

  2. Como é salutar à alma e como que uma bela sinfonia aos ouvidos a leitura deste texto! Obrigado, Dom Edson por sua sabedoria e, ao mesmo tempo, sensiblidade. À medida em que se lê, é como se o ouvisse proferir as palavras e o pulsar do coração. Continue o Espírito Santo a iluminá-lo com os Seus dons!

    A todos a capacidade de superação, no amor.

Deixe uma resposta